Livros técnicos em português

13.novembro.2008

Ontem, na hora do almoço, estava discutindo com um colega de trabalho a respeito de se ler livros técnicos em inglês ou português.

Ele é da opinião de que é melhor ler livros em português, já que é nosso idioma nativo, normalmente são mais baratos e não há mal algum em uma ou outra tradução errada. Nas palavras dele, geralmente é possível entender o que o autor quis dizer no idioma original. Outro ponto comentado é que, na maioria dos casos, o livro importado demora mais para chegar, já que costumamos comprá-los pela Internet.

Há uns anos, eu não pensaria duas vezes ao comprar um livro traduzido, adicionando um motivo aos citados acima: eu ficava totalmente desconfortável com algo que não estivesse em português.

Um dos livros que comprei nessa época foi sobre UML, da péssima conceituada Editora Ciência Moderna. No capítulo sobre Diagramas de Classes – muito fraco, diga-se de passagem – havia várias referências ao uso de portas. Na terceira leitura é que eu fui entender que aquilo era a tradução porca para interfaces, um conceito usado em orientação a objetos. Não satisfeito com o erro, comprei um de certificação para Java 1.4 da mesma editora. Se tivesse dependido apenas dele para passar na prova, estaria perdido.

Particularmente, prefiro livros no original em inglês por uma série de fatores:

  • Não quero ficar adivinhando o que o tradutor achou que o autor quis dizer. As vezes o livro já trata de um assunto complicado o suficiente para eu ter que ficar brincando de vidente.
  • Geralmente não existe tanta urgência em ter o livro em mãos. Se houver, a Internet tem dezenas de blogs especializados, tutorias ou sites de fabricantes com exemplos. Raros os casos onde isso não se aplica.
  • Geralmente sites especializados e documentação também estão em inglês.
  • Eu posso treinar minha fluência no idioma. Aquela desculpa clássica de que ‘meu inglês não é muito bom’ é realmente triste. Pode apostar que o inglês do sujeito vai continuar não sendo bom por muito tempo.

Infelizmente, ainda temos muito pouca literatura de qualidade escrita por brasileiros. Boa parte do que se encontra por aí são cópias e traduções de obras estrangeiras. Ou então, temos os Ramalhos da vida, que se dizem especialistas dos assuntos mais diversos, partindo de bicicletas ou vinhos até bancos de dados relacionais.

Com certeza alguém vai discordar de algum dos pontos, mas criar uma cultura de ler e aprender em um idioma que não seja o português é um grande diferencial no desenvolvimento profissional e mesmo cultural. Recomendo.

Update as 15:51:

Leitura recomendada: http://akitaonrails.com/2007/4/14/off-topic-seja-arrogante